Economia Freelancer: o mercado que está transformando o mundo

Em setembro deste ano, a Upwork e a Freelancers Union lançaram um novo estudo sobre o mercado de freelancers nos Estados Unidos. Atualmente, mais de 36% da força de trabalho do país atua de modo independente. Você pode conferir os resultados completos da pesquisa aqui. Mas nós acreditamos que alguns pontos merecem destaque!

  • Millennials lideram o caminho: 47% dos trabalhadores dessa geração atuam como freelancers justamente por terem crescido com novas tecnologias e constantes transformações;
  • Melhor preparados para o futuro: a pesquisa aponta que os freelancers estão mais atentos às transformações do mercado em comparação com os trabalhadores regulares e, por isso, atualizam suas habilidades com mais frequência (nossos Vibbrantes são prova disso! Profissionais autodidatas sempre se destacam);
  • Uma década de crescimento pela frente: De 2014 a 2017 o número de freelancers cresceu três vezes nos EUA. Com base nessa informação, estima-se que boa parte da força de trabalho americana seja liderada por freelancers até 2027 (será que esse crescimento se repete aqui no Brasil? Acreditamos que sim!);
  • De "Gig Economy" para "Freelance Economy": a visão de mercado está mudando e 69% das pessoas entrevistadas acreditam que o trabalho de freelancer é percebido de modo mais positivo atualmente. Com profissionais cada vez mais especializados, a noção de "bico" cai e abre espaço para uma nova economia.
  • Automação: aparentemente, freelancers são bem mais realistas que os demais trabalhadores e não temem os efeitos da automação através da tecnologia. 77% dos entrevistados acreditam que seu próprio trabalho será transformado pelo uso de robôs ou máquinas;
  • Liberdade, flexibilidade e renda extra. Estes são alguns dos principais motivos pelos quais as pessoas escolhem se tornar freelancer. Sim, estamos falando de escolha e não apenas de necessidade. Com o aumento do respeito por esse mercado, cada vez mais profissionais optam por atuarem de modo independente;
  • Portfólio diversificado de clientes: É claro que a preocupação com a renda mensal ainda paira pelas mentes e corações destes profissionais, justamente por isso, 63% preferem apostar em um portfólio de clientes diversificado para garantir mais segurança. Isso resulta em uma média de 4.5 clientes por mês;
    Menos é mais: Carga horária de trabalho moderada também desponta na pesquisa. Em média, os profissionais trabalham 36 horas por semana.

Mas e quanto à nossa realidade brasileira? Existem algumas pesquisas disponíveis a respeito do nosso cenário. O Aparelho Elétrico se encarregou em realizar uma pesquisa sobre o perfil freelancer brasileiro em Abril deste ano e compartilha os resultados aqui. Já o Workana compartilhou alguns dados sobre as áreas que mais despontam no mercado freelancer e, como você já deve imaginar, a área de programação, seguida de web design, lideram as buscas. A verdade é que a crise econômica dos últimos anos ajudou a impulsionar o mercado de freelancers no Brasil. Estima-se que houve um crescimento de 20% em número de profissionais independentes em 2016. Isso faz do Brasil o 6° maior país em quantidade de freelancers.

Com uma demanda tão grande por profissionais freelancers, não é a toa que um novo mercado está se construindo ao redor desta dinâmica. A Forbes listou recentemente 79 sites para você se cadastrar e encontrar projetos e trabalhos. Sites e plataformas como o propósito de unir problemas e solucionadores de problemas serão cada vez mais comuns e a tendência é que passem a ser operadas por nichos, como a Vibbra que se dedica a encontrar os melhores profissionais freelancers capazes de executar com propriedade e eficiência um projeto de software. Demanda certamente há para todos, mas ao invés de quantidade, empresas e freelancers passarão a buscar qualidade: os melhores profissionais e os melhores projetos.

Além disso, não podemos perder de vista o fato de que noções como segurança, estabilidade, aposentadoria e carga horária de trabalho estão sendo completamente redefinidas por estes profissionais. Ainda estamos no centro dos processos de transformação e analisar os impactos do trabalho freelance é desafiador. Entretanto, de uma coisa podemos ter certeza: a forma como o trabalho é organizado atualmente deverá mudar drasticamente dentro dos próximos anos com o auxílio das novas tecnologias.