10 Dicas práticas para se tornar um freelancer em 2018

Talvez você esteja namorando a ideia de se tornar um profissional freelancer há algum tempo. Final de ano mal se aproxima e os planos de vida e carreira para 2018 começam a surgir. Caso você queira desfrutar dos benefícios de poder escolher o melhor horário e local de trabalho, assim como quais projetos deseja assumir, ou não, este é o momento de traçar um plano e organizar a carreira para se tornar um empreendedor de si mesmo. Afinal, um bom freelancer também precisa manter um certo espírito empreendedor.

Vamos às dicas que separamos para você sobre Transição e Divulgação.

TRANSIÇÃO

Faça uma transição gradual: Antes de se lançar por completo na vida de freelancer é válido experimentar um pouco deste mundo e aprender, principalmente, sobre como você se sente com a incerteza e a imprevisibilidade. Buscar realizar pequenos projetos paralelos ao seu atual emprego é uma ótima forma de validar como os clientes respondem às suas entregas e você às demandas recebidas.

via GIPHY

Prepare um colchão financeiro: Sazonalidade e fluxo variável de projetos é algo com o qual você terá que aprender a lidar. Para algumas áreas de trabalho as épocas de dezembro à fevereiro tendem a ser de baixa procura para novos projetos. Nessas horas ter uma reserva financeira pode ser determinante para você pagar as contas com tranquilidade. Por isso, separe um valor equivalente ao que você precisa para sobreviver por, pelo menos, três meses. Deixe esse dinheiro aplicado e rendendo e tenha sempre em mente que essa reserva deve ser utilizada apenas em casos de emergência. Que tal começar esse colchão financeiro com aquela graninha que entra através dos projetos paralelos ao seu atual emprego?

via GIPHY

Defina metas de rendimentos diferentes: Você precisa saber qual é o mínimo que você precisa ganhar mensalmente, qual seria o valor médio ideal e quanto seria um rendimento mensal que superaria as suas expectativas. Ter em mente tais metas irá te ajudar a verificar se você precisa prospectar novos projetos ou não.

via GIPHY

Tenhas as suas despesas na ponta do lápis: Pode ser difícil no início definir o que são despesas pessoais e despesas de trabalho, mas lembre-se que administrar a vida de freelancer é como administrar uma pequena empresa. Por isso, faça as contas de quanto você terá que desembolsar com a manutenção de um CNPJ, emissão de Notas Fiscais, internet, equipamentos, telefone, deslocamentos e eventuais cafés decorrentes de pequenas reuniões com clientes (caso eles ainda não tenham aderido às eficientes reuniões online!)

via GIPHY

Prepare a documentação: Como você já deve ter captado das dicas acima, ter um CNPJ será necessário. Você pode iniciar como MEI (Micro Empreendedor Individual) e emitir Notas Fiscais Eletrônicas. Informe-se junto à prefeitura da sua cidade sobre como obter tais documentos e certificados (cada prefeitura possui um processo específico) e tenha em mente que alguns processos burocráticos tomam tempo.

via GIPHY

Defina seu valor/hora: Uma vez que você tenha definido qual é a renda mínima que você deseja obter por mês, assim como com quais despesas terá que arcar, é importante parar para definir quantas horas você deseja trabalhar por semana/mês. Com tais informações em mente você pode iniciar os cálculos do seu valor/hora. Porém, esse processo não é tão simples assim. Uma vez definido seu valor, será preciso adicionar uma certa margem de segurança, assim como comparar com o valor de mercado cobrado por outros profissionais. Se você está começando agora, talvez precise operar um valor um pouco abaixo do esperado para ganhar alguns clientes.

via GIPHY

DIVULGAÇÃO

Portfólio: Behance para designers, GitHub para programadores, Cases e depoimentos para gestores. Essas são algumas das formas mais básicas de você organizar seu portfólio. Claro que a sua criatividade pode (e deve) te levar mais longe, mas começar com tais estratégias pode ser uma ótima opção para fazer seu trabalho (e a sua experiência) conhecidos.

via GIPHY

Mantenha uma rede de contatos ativa: Todas as pessoas com quem você já trabalhou alguma vez podem se tornar verdadeiros anjos! Espalhe por aí a informação de que você está se tornando freelancer e que está em busca de novos projetos. Só não vale mandar mensagem em modo SPAM para o pessoal. Informe de modo sutil a quem interessa ;)

via GIPHY

Marketing pessoal contínuo: Do Facebook ao Linkedin até o blog ou site pessoal. Descubra como seus potenciais clientes buscam profissionais como você e defina sua estratégia de apresentação ao mercado de trabalho. Um site pessoal pode ser um bom diferencial e um perfil atualizado no Linkedin (principalmente se você for Gestor de Projetos) é essencial. Blogs são recomendados para quem deseja demonstrar autoridade no assunto. Caso você goste muito de UX, por exemplo, e sente que pode colaborar para a educação do mercado em tal temática, aposte nisso! Escreva com propriedade.

via GIPHY

Plataformas: Cadastre-se em plataformas como a Vibbra! Nós sabemos que o Q.I. (Quem Indica) ainda é a regra que prevalece no mundo da busca por um trabalho, mas nossas redes de contatos pessoais podem esgotar em algum momento. Por isso, plataformas são uma boa forma de você ampliar seu alcance, conhecer novas pessoas e escalar seus projetos sem ter que se preocupar tanto com atividades extras de divulgação.

via GIPHY

Ufa! É informação que não acaba mais. Certamente poderíamos compartilhar ainda mais dicas, mas esperamos que essas informações sejam suficientes para você dar o pontapé inicial na sua carreira de freelancer. Boa sorte e conte com a Vibbra!